home Sustentabilidade Silício: saiba como esse nutriente atua no manejo de estresses ambientais e patogênicos

Silício: saiba como esse nutriente atua no manejo de estresses ambientais e patogênicos

Já abordamos aqui no blog a importância do silício no desenvolvimento vegetal. Para aprofundar os conhecimentos sobre a temática, indicamos um artigo científico escrito pela Engenheira Agrônoma, Dra. e Pesquisadora Científica Mônica Sartori de Camargo.

Em seu artigo, Mônica faz uma revisão de alguns estudos que comprovam a ação benéfica do silício na tolerância contra estresses ambientais e patogênicos. Aqui, vamos elencar os pontos principais abordados por ela:

  1. A absorção de silício ocorre, preferencialmente pelas raízes das plantas na forma de ácido monossilícico (H4SiO4), sendo posteriormente transportado pelo xilema e depositado na forma de dupla camada de sílica e cutícula na epiderme das folhas e colmos.
  2. O silício é o único elemento que não acarreta prejuízo quando absorvido em excesso pelas plantas, sendo que algumas são consideradas acumuladoras como o arroz e a cana-de-açúcar.
  3. A deposição de silício nas folhas promove melhoria do posicionamento para maior interceptação de luz solar, aumentando a capacidade fotossintética e a produtividade das culturas.
  4. Resultados positivos da ação do silício também têm sido verificados na redução de danos causados por estresses bióticos (pragas e doenças) e abióticos (seca, metais pesados, salinidade).

Estresses bióticos reduzidos pelo silício:

Há duas hipóteses sobre o modo de ação do silício nos danos causados nas plantas por agentes patogênicos e insetos: a barreira física e a barreira química.

– Como barreira física: o silício se deposita na parede das células da epiderme e dificulta o desenvolvimento de fungos e a penetração de insetos nos tecidos das plantas;

– Como barreira química: o silício solúvel presente no interior da planta ativa o sistema de defesa natural quando um patógeno infecta a planta, estimulando a produção de compostos fenólicos, quitanases, peroxidades e o acúmulo de lignina.

Estudos indicam a redução de doenças fúngicas utilizando o silício na cultura do algodão, gramíneas, leguminosas e hortaliças.

Estresses abióticos reduzidos pelo silício:

O silício pode atuar na redução dos estresses abióticos causados por seca, salinidade e metais pesados, porém os mecanismos envolvidos ainda são pouco compreendidos, sendo variável para cada espécie.

Estudos indicam aumento da tolerância ao estresse hídrico pela ação do silício na cultura do arroz, sorgo, trigo, batata e cana-de-açúcar.

Para conhecer os estudos e bibliografia indicada, acesse o artigo na íntegra pelo link.

Considerações finais

Para um bom manejo do silício é necessário a utilização de doses e fontes de silício adequadas para sua efetiva absorção pelas plantas e consequentemente obtenção dos seus efeitos benéficos.

Considerando que o silício pode ajudar na redução da severidade de algumas doenças, a utilização desse elemento pode minimizar o uso de agrotóxicos e reduzir a contaminação do ambiente, contribuindo para a sustentabilidade agrícola.

Se você quer aumentar a qualidade e proteção da sua lavoura, entre em contato para conhecer nossos produtos, que são ricos em silício e proporcionam diversos benefícios para o seu cultivo.

Fonte: Camargo, Mônica Sartori. Efeito do silício na tolerância das plantas aos estresses bióticos e abióticos.

logo-verde-agritech

Notícias Relacionadas

One thought on “Silício: saiba como esse nutriente atua no manejo de estresses ambientais e patogênicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *